FREE SITE ** Canil Fittipaldi ** Canil de venda de filhotes de Terra Nova, Newfoundland, Bernese, Beagle, Dachshund / Teckel / Dalmata CBKC-SP/FCI " MICROCHIPADOS"
Somos Filiados:


google:filhotes de beagle, bigou, basset, dachshund, salsicha, teckel, filhotes dalmata, filhotes de bernese mountain dog, filhotes de terra nova, newfoundland, pedigree da cbkc, fci, canil especializado e conceituado.

Todos os filhotes são
* MICROCHIPADOS *
Veja os Benefícios:

Ver Mais

Veja o Filhote na Web Cam On Line

 

Ninhadas Disponíveis

Atualizado dia 16/10/2013

 

 

 

 

 

NOSSOS FILHOTES COM SUAS FAMÍLIAS
FOTOS:

 

 

 

 

INDICAMOS PET SHOP: COBASI / PET CENTER MARGINAL

O meu directório de estimação

 

Bernese Mountain Dog

O boiadeiro de Berna (também conhecido pelos nomes de Berner Sennenhund, em alemão, e Bouvier Bernois, em francês, ou ainda cão da montanha de Berna) é uma raça de cães de trabalho originária do cantão de Berna, na Suíça.

APARENCIA:

Os Berner, como são normalmente chamados, são uma raça de cães tricolores de grandes proporções, medindo 58 a 70 cm na altura dos ombros. Os padrões da raça não delimitam o peso dos animais, mas ele costuma variar entre 30 e 60 kg. A raça pode ser facilmente identificada pelo padrão tricolor da pelagem: corpo, pescoço, pernas, cabeça e orelhas são totalmente pretos; o rosto, os pés e as marcas sobre os olhos são cor de ferrugem ou marrom; os dedos, o peito, o focinho, a ponta da cauda e uma faixa entre os olhos são brancos. O padrão de cores é rígido e pode variar ligeiramente apenas na quantidade de branco. Um cão com a marca do peito perfeita apresenta uma marca em forma de "cruz suíça" branca quando visto de frente na posição sentada. Os olhos são de um marrom escuro marcante e de forma amendoada. Os Boiadeiros de Berna machos são geralmente maiores que as fêmeas, mas ambos os gêneros são igualmente fortes.

CUIDADOS:
A pelagem do boiadeiro de Berna tem aparência áspera, mas a sua textura é suave. A pelagem interior (undercoat) é bastante densa; a pelagem é bastante resistente ao tempo a poeira. Uma ou duas boas escovações semanais são suficientes para mantê-la em boa forma, exceto quando houver troca de pelos: neste período são aconselhadas escovações diárias durante toda a muda. Os Boiadeiros de Berna tem uma muda anual a queda de pelos nesse período é esperada.

Os boiaderos de Berna são cães de exterior, mesmo sendo bem comportados quando dentro de casa. Necessitam de exercício e atividade, mas não tem grande resistência. Podem se mover com grande velocidade, apesar de seu tamanho, quando motivados. Se não tiverem problemas nas juntas, apreciam as caminhadas e caminham geralmente juntos de seus donos.

O seu temperamento é um ponto forte da raça. São afetuosos, leais, obedientes, estáveis e inteligentes. A maioria dos Boiadeiros de Berna convive bem com outros animais de estimação como gatos, cavalos, etc. São muito bons para adestramento caso os seus donos sejam pacientes e e mantenham um treinamento consistente; eles necessitam de algum tempo para interpretar o treinamento. Não respondem bem a tratamento violento, mas estão sempre ansiosos para agradar em troca de reconhecimento e de prendas. A raça é de temperamento estável, paciente e carinhosa.

São também cães carentes de atenção e amor, muito amorosos. Adoram se recostar nas pessoas ou sentar aos seus pés.

Seu temperamento calmo faz deles cães ideais para puxar pequenas cargas, tarefa para qual eram originalmente usados na Suíça. Com o treinamento adequado eles adoram puxar crianças em carrinhos e participar de paradas. Alguns clubes de Boiadeiros de Berna nos Estados Unidos oferecem workshops deste tipo de tarefa para os cães.

 

Terra Nova

Newfoundland

O Terra Nova, ou Newfoundland, é originário do noroeste do Canadá da região que lhe dá o nome. As teorias acerca da origem deste cão são muito variadas. As mais defendidas são:

  • resulta de cruzamentos entre os cães de Vikings e raças indígenas;
  • é produto da cruza entre cães indígenas e o Dogue do Tibete, levado por pescadores europeus até aquela região;
  • descende do Retriever do Labrador. Teoria suportada nas semelhanças físicas e proximidade das regiões de origem;
  • resulta de cruzamentos entre o Mastim dos Pirinéus, levada até à região pelos pescadores bascos, e cães indígenas;
  • tem influências do Cão de Água Português, que viajava nos barcos dos pescadores de bacalhau portugueses.

A sua origem remonta a 1700, quando os primeiros Terra Nova eram de variedade Landseer: branco e preto. O Terra Nova de cor preta que conhecemos hoje é provavelmente fruto de uma selecção rigorosa. Estes cães foram trazidos posteriormente para a Europa por outros pescadores de bacalhau, adquirindo uma certa popularidade.

Durante o século XIX, os habitantes da Terra Nova ficaram por lei restringidos a não ter mais do que cão. Isto levou a vendas exportações massivas para a Europa que recebeu esta raça com entusiasmo. Esta popularidade alcançou o expoente máximo, quando em 1886, a raça foi oficialmente reconhecida pelo clube Inglês do Terra Nova.

O Terra Nova é muitas vezes apelidado do São Bernardo da água, devido à sua fama de resgatar tudo o que cai à água. Mesmo as crianças que saltam para brincar na piscina são salvas contra à vontade. São inúmeros os salvamentos atribuídos a cães desta raça. Em 1919, foi atribuída uma medalha de ouro a um cão desta raça, por ter resgatado um barco salva-vidas com 20 náufragos.

O Terra Nova era também utilizado como cão de tracção, carregando leite, madeira e outros volumes.

Temperamento

O Terra Nova é um cão gentil e dócil. Gosta sobretudo de água e de recuperar objectos (busca). Não hesita em salvar tudo e todos da água, mesmo que não necessitem.

O Terra Nova é obediente ao dono e gosta de agradar, mas não é particularmente fácil de treinar. Os movimentos lentos exigem paciência por parte do dono. Muito sensível ao tom de voz do dono, necessita de um treino estimulante e divertido. Bastante afectuosos, não gostam da solidão e podem ficar deprimidos na ausência do dono.

É bom cão de guarda e de alerta. Tem um ladrar grave, que usa para dar sinal ao dono. Se sentir que a família está em perigo coloca-se entre o dono e o perigo, como forma de protecção

Excepcionais com crianças, precisam contudo de ser ensinados a não ter brincadeiras bruscas. Mostram-se desconfiados com estranhos, mas são cães pacíficos. Dão-se bem com gatos e outros animais, mas os machos não simpatizam entre si.

Com um nível de energia moderado, adaptam-se à vida no apartamento, desde que suficientemente exercitado. Natação é a actividade ideal para este cão. Os passeios diários são indispensáveis.

Descrição

O Terra Nova é um cão de porte grande. Os machos rondam os 71 cm e os 68kg e as fêmeas têm em média 66cm e 54 kg. Segundo o estalão são desejáveis cães maiores, contudo a proporcionalidade é mais importante do que o tamanho.

As características mais evidentes do Terra Nova são a sua força e o seu ar activo. Em pequeno, este cão assemelha-se mais uma cria de urso que um cachorro. Daí veio a lenda de que o Terra Nova descende de ursos da região.

Este cão possui um andar ligeiro, apesar das suas grandes dimensões. Possui um crânio maciço e largo ladeado por orelhas pequenas, junto à cabeça. Os olhos pequenos são castanhos escuros, exceptuando nos cães castanhos onde é permitido variações mais claras. O stop é evidente, mas não pronunciado. O nariz é quadrado e curto.

Com uma aparência poderosa, o Terra Nova tem um dorso largo e um pescoço forte. Os pés são também grandes e fortes. Uma das características importantes do Terra Nova é a membrana existente entre os dedos, que lhe permite nadar melhor. A cauda actua como um leme quando o Terra Nova está na água. É forte e larga na base, desenvolvendo-se recta, admitindo-se uma pequena curva na ponta.

O Terra Nova tem uma pelagem resistente à água com subpêlo e pele oleosa. A pelagem exterior é de comprimento médio e lisa. O subpelo é denso e fofo e mais profuso no Inverno do que no Verão. O pêlo na cabeça, queixo e orelhas é curto e fino. As patas são adornadas com uma pelugem.

As cores permitidas são o castanho, o preto e o preto e branco. O preto sólido é a cor tradicional. Nesta variedade permitem-se manchas brancas no peito, pés e na ponta da cauda. A variedade preta e branca tem um peso histórico significativo e é conhecida como Landseer. A cabeça deve ser preta com uma mancha branca que se estende até ao queixo. A sela deve ser preta bem como a parte superior da cauda. A variedade castanha é a menos comum. A tonalidade varia desde o bronze até ao chocolate. Manchas brancas são permitidas no peito, pés e ponta da cauda.

Saúde

Devido ao grande porte, o Terra Nova é especialmente afectado por displasias, da anca e do cotovelo. Torção do estômago é também comum. Um grave problema hereditário na raça é a estenose pulmonar, uma deficiência, estreitamento, da válvula pulmonar, que pode causar a morte do cão enquanto pequeno. O problema pode ser despistado com testes nos progenitores. Menos frequentes são problemas oculares.

O Terra Nova não lida bem com o calor e deve ter sempre acesso a água e sombras.
Content for New Div Tag Goes Here

Higiene

A pelagem do Terra Nova deve ser escovada duas a três vezes por semana. O subpêlo renova-se duas vezes por ano, na Primavera e Outono, o que implica uma escovagem mais frequente para remover os fios soltos.

O Terra Nova não é um cão que me mantenha limpo durante muito tempo. Sempre que tiver acesso à água, o Terra Nova não hesita em molhar-se por isso tenha um atoalha à mão, quando o passear perto de rios, mar ou lagos.

O Terra Nova costuma babar-se após beber água, largando pingas por onde passa.

 

Dálmata

 

Caracteristicas:

A genealogia precisa do Dálmata continua desconhecida. Alguns entusiastas reivindicam evidências de que tenha originado no Egito antigo onde aparece em imagens sobre os tumulos dos faraós. Outros defendem que tenha surgido na Dalmácia, região da Jugoslávia, afirmando que o nome da raça advém do nome da região. Contudo, parece cada vez mais crível a teoria que o Dalmata, pelo menos tal o conhecemos nos dias de hoje, é proveniente do Reino Unido, país onde goza de grande popularidade, e onde existem grandes exemplares da raça, que têm sido exportados para todo o mundo.

Foi usado inicialmente para guardar estábulos e também como escolta das carruagens, correndo ao lado e atrás delas. Tornou-se mascote dos bombeiros americanos (resquício do tempo em que os camiões de bombeiros eram puxados por cavalos).

Personalidade:


O Dálmata é um cão que não requer muitos cuidados especiais. Extremamente activo e brincalhão, precisa de muito exercício.
É especialmente dedicado ao dono, extremamente dócil e amoroso. Caracteriza-se como uma raça leal, inteligente e activa e tem mantido uma grande popularidade há muitos anos.
Esta popularidade pode ser atribuída em grande parte ao "empurrãozinho" de Walt Disney e o seu "Os 101 Dálmatas" lançado em 1961, filme no qual a vilã cobiça a maravilhosa pelagem branca enfeitada pelas pintas escuras para fazer um casaco.
Criadores do mundo todo admitem que a popularidade do Dálmata nas últimas três décadas esteve intimamente ligada ao grande sucesso do desenho animado - e do seu relançamento em vídeo. Vários países, entre eles Inglaterra, Itália e Japão, assistiram a uma duplicação do número de registros de nascimentos de Dálmatas nos últimos três anos. Na Inglaterra e na Itália, a raça está há anos entre as 14 mais procuradas; no Japão, ocupa o 26º lugar. Nos Estados Unidos, o Dálmata permanece entre as onze mais desde 1993 (em 1995, o Dálmata era a 9ª raça a mais registada). No ano passado, somente os EUA registraram mais de 36 mil cachorrosm e com a versão cinematográfica estrelada por Dálmatas em carne e osso, há expectativa de um novo impulso no interesse popular pela raça.

As pintas:

Com uma aparência extremamente elegante, bela e chamativa, o Dálmata encanta pela sua lealdade, disposição e amabilidade. O porte e a elegância natural, a grande resistência para longas caminhadas faziam dele o cão perfeito para a função de acompanhar as carruagens e/ou os bombeiros. Actualmente, é considerado um excelente cão de companhia.

Sua marca registrada, as pintas pelo corpo, podem ser preto ou fígado e os criadores procuram cada vez mais preservar a sua conformação, já que neste caso não basta ter pintas: elas precisam ser perfeitas para destacar a elegância do cão.

A preocupação com as pintas chega ao requinte de determinar o tamanho ideal que devem ter, bem como a sua forma, a distribuição e a coloração correcta. Segundo a Federação Cinológica Internacional (FCI), as pintas devem ser o mais redondas possíveis, bem definidas, em cor preto ou fígado sobre branco puro, sem mistura de cores e menores nas extremidades (cabeça, patas e cauda). Muitas pintas juntas, formando "cachos de uva", também são indesejáveis.

Há cerca de quatro anos, a FCI modificou o padrão da raça, tornando-o mais específico e objectivo. As maiores alterações ficaram no item de marcação, tendo sido introduzidas diversas faltas desqualificantes, como por exemplo, a presença de placas - grandes manchas . Cães com essa marcação já nascem assim, ao contrário dos pintados, cujas pintas começam a aparecer aos 15 dias. Marcação em monóculo (grandes manchas redondas ao redor dos olhos) passou a ser considerada uma falta desqualificante. O mesmo vale para um Dálmata que simultaneamente tenha pintas pretas e outras de cor fígado, os tricolores e aqueles que possuam pintas "amarelas".

Dálmatas com olhos azuis também são considerados desqualificados.

As modificações introduzidas no Padrão da Raça reduziram também a altura mínima permitida e estabeleceu um peso ideal (que não existia no padrão anterior).

Os Cachorros:

Os cachorros Dálmatas nascem brancos e as manchas características começam a surgir apenas após 15 dias. É importante que se verifique os pais dos filhotes para se ter uma idéia mais precisa de como se parecerá quando adulto e também deve-se certificar que o cachorro não tenha manchas já ao nascer, pois essa manchas mais tarde transformar-se-ão numa placa, que é motivo de desqualificação em exposições de beleza.

Outro cuidado a ser tomado pelo futuro proprietário, no caso de exemplares cor de fígado, é saber a cor dos antepassados, já que caso haja seguidos cruzamento de exemplares cor de fígado, os descendentes podem apresentar problemas de pigmentação.

Problemas comuns à raça:

O grande problema congênito de saúde observado é a surdez.

SER DÁLMATA É...

Beagle

Origem: Grã Bretanha

Porte: P

Peso Médio: 10 kgs

Função: Companhia
Usado para caça ao coelho e à lebre, também usado como cão farejador em aeroportos americanos para evitar o contrabando de alimentos não autorizados. Mas tem enorme sucesso também como cão de companhia.

Os beagles também são conhecidos como Snoopy, um dos personagens mais famosos da história em quadrinhos.

Personalidade: Cão bastante alegre, simpático e brincalhão. É uma ótima companhia para crianças. Além de alegre e de bom caráter, ele é um cão considerado extremamente sociável. Possui um ótimo faro. Pode ser bem teimoso e sapeca. São independentes, cheios de energia, precisam de muita companhia e de um dono firme e paciente, que compreenda a natureza deste cão.

História: As origens do Beagle se perdem na História, havendo menção de animais assemelhados já no século III. O fato é que a raça, usada principalmente na Inglaterra como caçador de lebres, sobreviveu graças a suas qualidades de farejador e a determinação de criadores dedicados, entre eles até a Rainha Elisabeth I. A Rainha que possuía numerosos exemplares, tendo até desenvolvido uma variante especial extremamente pequena.

Saúde: O controle alimentar deve ser extremamente rígido, já que a raça Beagle apresenta uma forte tendência à obesidade. A alterações cardíacas, sobrecarga das articulações e da coluna vertebral são alguns dos problemas que o sobrepeso pode causar ao seu cão. Outro grande problema da raça são as reações de sensibilidade variada a picadas de insetos, alimentos e mesmo produtos de higiene. O melhor procedimento nesses casos é identificar o agente alérgeno (aquele capaz de desenvolver o quadro alérgico) e evitar que o animal esteja exposto a ele novamente. Registros de uma doença chamada necrose asséptica da cabeça do fêmur também são relatados na raça. Consiste em uma falha na irrigação da região, causando necrose. É necessária a cirurgia corretiva, pois esta condição causa muita dor ao animal. A hiperplasia da glândula de Harder ou terceira pálpebra é outra condição muito comum nos Beagles e que consiste no aparecimento de uma “carne esponjosa” no canto do olho. Nesses casos, é indicado tratamento cirúrgico. Um processo inflamatório muito comum no Beagle é a inflamação das glândulas anais, que requer atenção do proprietário.

Atividade: É essencial prover bastante atividade para o cão, já que apresenta tendências à obesidade. Para isso, o Beagle precisa de espaço para exercitar-se.

Pelagem: curta
Curta e impermeável, lisa e espessa.

Adaptação com Crianças: Ótima

 

Dachshund, Teckel ou Salsichinha

O Dachshund, também conhecido como Teckel ou "salsichinha" é charmoso, ágil e inteligente. Esse cão de caça se firma como uma das raças mais populares. Baixotes de olhar esperto, alongados como uma salsicha, atrai simpatia geral. Enquanto no país de origem da raça, a Alemanha, lidera em número de filhotes registrados, no Brasil cresceu 40% a mais que toda a cinofilia nos últimos cinco anos. Devido ao seu tamanho, é excelente opção para aqueles que moram em apartamentos. Em contrapartida, estes cães latem alto e muito.


Padrão da Raça
Origem: Alemanha

Utilização: Caça em tocas.

Peso: Standard (perímetro do tórax acima de 35cm ): peso máximo de 9kg; Anão (perímetro do tórax de até 30cm): peso máximo de 4kg e Miniatura ou Toy (perímetro do tórax de até 30cm) peso máximo de 3,5kg.

Aparência: Corpo longo, com patas curtas, musculoso e compacto; movimentos suaves e equilibrados.

Tamanho: Como existem três tamanhos, que são definidos pelo pelo peso da raça, a variação na estatura do teckel varia de 12 a 22 cm.

Pelagem e cor:

a) TECKEL UNICOLOR: vermelho, amarelo-avermelhado, amarelo com ou sem interferência de pêlos pretos, entretanto, uma cor pura é preferível e o vermelho mais do que o amarelo-avermelhado e o amarelo.
Cães intensamente marcados com interferência de pêlos pretos pertencem a essa variedade. Nessa variedade a trufa e as unhas são pretas, tolerando-se o marrom .

b) TECKEL BICOLOR: cães pretos, chocolate, cinzentos ou brancos com marcações CASTANHO ou amarelas sobre os olhos, nas faces, nos lábios, na face interna das orelhas, no antepeito, nas regiões inferiores dos membros, nas patas, na região do ânus e no terço próximo da face ventral da cauda. As marcações CASTANHO muito extensas não devem ser almejadas. A trufa e as unhas são pretas nos cães pretos, marrons ou chocolate, cinza nos cinzentos e nos brancos podendo ser cor de carne, porém, não desejável. Nos brancos é preferível, trufa e unhas pretas. Nos unicolores e nos francos bicolores, exceto os brancos, marcas brancas não são desejáveis, entretanto, as pintas brancas no antepeito, são toleradas.

c)TECKEL ARLEQUIM: a pelagem é marrom-claro, cinza-acastanhado, às vezes até branca, com malhas irregulares de contorno pouco marcado de cor cinza-escuro, castanho, amarelo-avermelhado ou preto, malhas grandes são indesejáveis. É desejável que nem a cor clara nem a escura predominem.
O Teckel poderá ser também tigrado, de cor vermelha ou amarelo com riscas escuras. A cor do nariz e das unhas é a mesma dos unicolores e dos bicolores.

d) PÊLO: curto, duro brilhante, assentado, revestindo todo o corpo sem áreas de pêlos ralos. O pêlo lembra os fios de cereais na face inferior da cauda sem o aspecto de trincha ou, o inverso, parcialmente desnuda.

TECKEL PÊLO DURO: de uma forma geral, tem o mesmo aspecto do Teckel Pêlo Curto. À distância, sua silhueta deve ser a mesma.

PELAGEM: dupla (com subpêlo), fechada, dura e toda uniforme de mesmo comprimento, excetuando-se o focinho, guarnecido de bigodes, supercílios espessos, e na cauda, onde a pelagem é bem rica, os pêlos de comprimento maior, encurtam-se para a ponta, sem formar franjas. Nas orelhas, o pêlo é mais curto, quase raso harmonizando-se aos do tronco.

COR: todas são admitidas para a pelagem, trufa e unhas, sendo tolerada, mas indesejável, uma mancha branca no antepeito

Expectativa de vida: 12-16 anos.

Agressividade: Baixa.

Área para criação: Pequena.